GCM realiza sonho de menino cego de conhecer viatura policial

1
663

No momento em que voltava de uma visita à casa da tia, garoto ouviu a sirene da Romu passando em patrulhamento

Eram exatamente 15h25 de domingo, 24/2, quando os GCMs em patrulhamento viram, pelo retrovisor da viatura da Romu, uma pessoa acenando para eles. Ao retornar pela avenida Inocêncio Seráfico para verificar do que se tratava, os policiais municipais foram surpreendidos.

O chamado era para atender uma solicitação completamente inesperada para os GCMs. No momento de despedida entre os familiares, já na porta da casa da tia, Felipe, de três anos, queria conhecer uma viatura policial.

A peculiaridade que tornou esse pedido tocante para os homens da Viatura 402 da Romu é que Felipe, que mora em São José do Rio Preto e passava o fim de semana na casa de uma tia, tem uma síndrome rara, a Vitrorretinopatia Exudativa Familiar, que causa um deslocamento de retina provocando cegueira permanente. Ao ouvir a sirene, ele quis tocar na viatura e nos policiais. “A gente sempre coloca no celular pra ele ouvir o toque da sirene, e explicamos o que um policial faz. Só que no caso dele, tudo é o toque, o ouvir e o sentir”, contou Janaína Messini, mãe do garoto.

Já para os agentes de segurança, foi uma situação inesperada. “Foi realmente uma surpresa nos vermos diante de uma criança que queria conhecer a viatura mas da forma dela de ‘reconhecer’ o mundo’”, contou um dos GCMs.

Para Janaína, foi uma feliz coincidência, de na hora de se despedir ter passado a viatura. “O Felipe queria muito saber o que era um policial, uma viatura. Ele ama muito, e eles [os GCMs] viram alegria dele. Perguntamos se ele podia pelo menos tocar na viatura e entender o que era um policial. A felicidade dele foi contagiante, emocionante…”, relembrou a mãe do garoto.

Para o comandante da GCM de Carapicuíba, Hélio Pereira de Souza, essa também é uma atribuição das forças policiais. “Além do trabalho específico de segurança, nosso papel na integração com a sociedade é fundamental para complementar o todo da ação da Guarda Civil Municipal”, afirmou, ressaltando que no caso de Felipe, é uma gratificação ainda maior para a GCM.

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta