Final feliz para cachorro atropelado no Assaí

0
626

Após ter sido atropelado pelo carrinho de compras de um cliente da loja, cão foi socorrido e depois adotado por uma funcionária 

Por Jennifer Andrade

Um cachorro, de aproximadamente um ano, teve a pata esquerda fraturada após ser atropelado no estacionamento do supermercado Assaí – que fica na avenida Desembargador Eduardo Cunha de Abreu. O caso, que aconteceu no dia 6/1, teve um final feliz para o até então abandonado pequeno vira-lata, que tem a pelagem nas cores preta e marrom.

Depois de ser atropelado, o cachorrinho foi resgatado e levado para ter atendimento veterinário/Fotos: Arquivo pessoal

Diferentemente do que aconteceu recentemente no supermercado Carrefour da cidade de Osasco, onde um cachorro morreu após sofrer maus-tratos, o Costelinha, como foi batizado, foi levado ao veterinário pelo segurança e pelo gerente da loja de Carapicuíba.

O vigilante Chico, que avisou sobre o atropelamento, acompanhou Costelinha durante o exame

A primeira ação a mudar o desfecho do cachorrinho foi do Guarda Civil Municipal Edson Mano, que também presta serviços de segurança para o Assaí. “Assim que soube que ele tinha sido atropelado por um cliente que estava com o carrinho de compras cheio, imediatamente, comuniquei ao gerente. Aí fomos [eu e o vigilante Chico] à clínica veterinária”, conta.

Segundo Mano, o acidente foi relatado a ele pelo vigilante do estacionamento do mercado, onde o animal já estava circulando havia alguns dias. Já na clínica, Costelinha foi submetido a exames de raios X. Constatada a necessidade de uma cirurgia, o animal foi submetido ao procedimento, onde foram colocados pinos para estabilizar a patinha quebrada.

Costelinha foi adotado por Ana, funcionária do supermercado

Prestes a ter alta, Costelinha não tinha para onde ir. Foi quando outra pessoa entrou em cena para mudar definitivamente o destino no animal. Ana Regina de Sousa Cardoso, que trabalha no caixa do Assaí, não pensou duas vezes no que deveria ser feito quando o animal recebesse alta: a adoção. “Depois que o meu cachorro morreu, há um ano, decidi não criar mais animas. Mas, quando soube que não estavam encontrando pessoas para adotá-lo, decidi fazer isso”, relata a nova tutora de Costelinha.

Apesar de o cachorrinho ainda andar com dificuldade, Ana relata que ele se recupera bem e que deve realizar uma radiografia nos próximos dias para o acompanhamento do seu quadro de saúde.

Tanto Mano, que providenciou o resgate e atendimento veterinário, como a nova tutora de Costelinha, informaram que todos os gastos foram pagos pelo próprio Assaí. O cliente que teria atropelado o cachorro e ido embora sem prestar socorro não foi identificado.

Deixe uma resposta