Alunos ficam no prejuízo após fechamento de autoescola

0
917

Autoescola Executiva, na Vila Menck, fechou do dia pra noite. Detran.SP informou que o CFC está bloqueado por “falta de diretor de ensino”

Alunos da autoescola Executiva ficaram no prejuízo após o fechamento repentino do estabelecimento. A autoescola, que fica na Estrada do Aderno, na Vila Menck, foi bloqueada pelo Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran.SP), deixando alunos com aulas práticas em aberto.

Segundo um aluno que não quis se identificar disse ao Carapicuíba na Rede, a autoescola fechou do nada no dia 30/1. “Estávamos indo lá e sempre se encontrava fechada. A gente ligava, não atendia. Chamava no WhatsApp, não respondia”, conta. “Descobrimos que o Detran bloqueou”, afirma.

De acordo com o aluno, uma das responsáveis pela escola enviou para alguns clientes uma mensagem explicando que o proprietário bloqueou e encerrou as atividades do estabelecimento no Detran.SP. “Infelizmente o que eu pude fazer mediante ao meu alcance pra ajudar os alunos eu fiz. Porém, não consegui resolver o CNPJ: 10.927.123/0001-26”, termina a mensagem.

“Ela deixava os dois carros e a moto [no local], mas não estão mais lá. O proprietário do local onde guardavam os veículos falou que ela pegou os carros e sumiu”, revela o cliente da autoescola. Ele estava em processo para obter a habilitação para carro (categoria B) e pagou R$ 1,4 mil. Restavam dez aulas para concluir. “Eu não sei o que eu faço. Estou sem chão”, lamenta ao CnR.

O aluno diz ainda que algumas pessoas fizeram o boletim de ocorrência e procuraram o Detran.SP, dando continuidade ao processo de habilitação em outra autoescola.

O que diz o Detran

O Carapicuíba na Rede procurou o Detran.SP sobre o caso que, em nota, informou que o autoescola está bloqueada por “falta de diretor de ensino”. Segundo o Detran, quem estava matriculado no CFC deve comparecer à unidade do Detran.SP na cidade e solicitar transferência do processo de habilitação para outra autoescola.

A nota ainda diz que “todas as aulas realizadas ficam registradas no sistema do Detran.SP, permitindo ao candidato continuar o processo exatamente de onde parou” e que o departamento “não cobra nenhuma taxa por essa transferência, mas a nova autoescola cobrará pelos seus serviços”.

O Detran ainda ressalta que as autoescolas são “empresas privadas e os valores referentes aos seus serviços são pagos diretamente aos estabelecimentos”, e que por isso possíveis ressarcimentos devem ser cobrados diretamente da empresa. “Os alunos prejudicados pelo estabelecimento comercial poderão, ainda, exigir seus direitos junto aos órgãos de defesa do consumidor, como o Procon, ou à Justiça”, informa.

O Departamento de Trânsito ainda diz que não participa dos acordos comerciais estabelecidos entre cidadão e autoescola, mas recomenda que antes de fechar negócio, o cidadão verifique se o estabelecimento é credenciado junto ao Detran.SP (consulta disponível em www.detran.sp.gov.br), solicite referências a ex-alunos e leia com atenção o contrato e os valores cobrados pelo estabelecimento para cada serviço.

Além disso, os candidatos podem formalizar reclamação sobre possíveis irregularidades por parte das autoescolas na ouvidoria do Detran.SP, na área de “Atendimento” do portal www.detran.sp.gov.br. O sigilo é garantido.

Deixe uma resposta